ABC da saúde digestiva: uma introdução sobre microbioma, probióticos e prebióticos

Tori Schmitt, MS, RDN, LD 01/15/18

Quer ajudar a saúde? Está na hora de seguir seus instintos, ou melhor, seus “intestinos”!

Ou seja: está na hora de focar na sua saúde digestiva. As pesquisas continuam demonstrando que o microbioma intestinal pode influenciar a função digestiva, a imunológica e até o humor.1-4 Quando meus pacientes me perguntam como podem otimizar seu trato digestivo, estes são alguns dos pontos simples que compartilho com eles.

O que é o microbioma intestinal?

Assim como uma floresta tem animais selvagens, árvores, capins e ervas daninhas, o microbioma intestinal é um ambiente dinâmico dentro do seu trato gastrointestinal, composto de várias espécies. Os micróbios – incluindo as bactérias, os vírus, as arqueias e outros – servem respectivamente a várias funções, desempenhando papéis no metabolismo e na digestão, protegendo contra agentes patogênicos e agindo como comunicadores para o sistema imunológico.1

Assim como uma pessoa preferiria adentrar uma floresta na qual reinasse uma perfeita harmonia entre as espécies (você certamente gostaria de animais simpáticos e da sombra das árvores protegendo do sol, certo?), a harmonia dos micróbios dentro do trato gastrointestinal pode alterar a saúde de uma maneira favorável. Por exemplo, pesquisas recentes demonstraram que a disbiose (ou seja, um microbioma desequilibrado) pode alterar o sistema imunológico e propiciar o desenvolvimento de doenças relacionadas a ele, como a doença inflamatória intestinal, a diabetes tipo 1, alergias e asma.5

O que são probióticos?

Os probióticos são bactérias e leveduras vivas que, ao serem ingeridas em quantidades adequadas, podem ser benéficas ao seu microbioma e à sua saúde. Uma vez ingeridos, os probióticos podem alterar o microbioma intestinal de maneira favorável. Aliás, em 2006, os autores do American Journal of Clinical Nutrition (Revista Americana de Nutrição Clínica) escreveram: “Agora há uma forte evidência da utilidade [dos probióticos] no tratamento e na prevenção de algumas doenças humanas.” 6

Os probióticos são naturalmente encontrados em alimentos como o iogurte, o kefir, vegetais fermentados, o kombucha e o chucrute, e podem ser ainda acrescentados a alguns alimentos funcionais ou em suplementos dietéticos, como ingredientes.

Tomar probióticos é seguro?

Para muitas pessoas tomar probióticos parece ser seguro. De fato, os probióticos têm um “excelente histórico de segurança geral”. 6

No entanto, tomar um probiótico pode ser inapropriado para certos indivíduos – incluindo aqueles com sistema imunológico ou trato intestinal comprometidos, ou ligados a um cateter venoso central.6

Portanto, quando o assunto for suplementos dietéticos e questões de saúde, consulte seu profissional clínico qualificado para determinar se probióticos são indicados para você.

Ao que devo atentar ao escolher um probiótico?

Já que os probióticos são micro-organismos, eles exigem determinadas condições para sobreviver. Ao considerar um suplemento probiótico, sugiro escolher um que ofereça uma gama de estirpes de bactérias diversificadas e eficazes. É importante também encontrar um suplemento que não perca a potência dentro de seu prazo de validade. Deve-se considerar garrafas que protejam da exposição à luz e à umidade (que podem danificar as bactérias benéficas) e suplementos armazenados corretamente (alguns suplementos probióticos requerem refrigeração).

O que são prebióticos?

Assim como você precisa de alimentos para nutrir seu corpo, os probióticos também precisam de “comida” para fornecer nutrimentos. A “comida” dos probióticos são as fibras alimentares especiais, ditas “prebióticas”. Os prebióticos são encontrados em alimentos como aspargos, alho-poró, cebolas, alho, farinha de banana verde, trigo e aveia. Eles ajudam os probióticos a crescer e se desenvolver.7-8 Opte mais vezes por estes alimentos para propiciar um microbioma intestinal mais saudável!

Enquanto as pesquisas continuam explorando as várias influências do microbioma intestinal sobre a saúde, uma coisa me parece bem certa: colaborar com a saúde do seu trato gastrointestinal é essencial para colaborar com a saúde do seu corpo.

Referências

  1. Shreiner AB, Kao JY, Young VB. The gut microbiome in health and in disease. Current opinion in gastroenterology. 2015;31(1):69-75. doi:10.1097/MOG.0000000000000139.
  2. Walker AW, Lawley TD. Therapeutic modulation of intestinal dysbiosis. Pharmacological Research. 2013;69(1):75-86. doi: 10.1016/j.phrs.2012.09.008
  3. Kelly D, King T, Aminov R. Importance of microbial colonization of the gut in the early life to the development of immunity. Mutation Research/Fundamental and Molecular Mechanisms of Mutagenesis. 2007;622(1-2):58-69.
  4. Benton D, Williams C, Brown A. Impact of consuming a milk drink containing a probiotic on mood and cognition. European Journal of Clinical Nutrition. 2007 Mar;61(3):355-61. doi:10.1038/sj.ejcn.1602546
  5. Petersen C, Round JL. Defining dysbiosis and its influence on host immunity and disease. Cellular Microbiology. 2014;16(7):1024-1033. doi:10.1111/cmi.12308.
  6. Boyle RB, Robins-Browne RM, Tang MLK. Probiotic use in clinical practice: what are the risks? The American Journal of Clinical Nutrition. 2006:83(6):1256-12644.
  7. Slavin J. Fiber and Prebiotics: Mechanisms and Health Benefits. Nutrients. 2013;5(4):1417-1435. doi:10.3390/nu5041417.
  8. Patel S, Goyal A. The current trends and future perspectives of prebiotics research: a review. 3 Biotech. 2012;2(2):115-125. doi:10.1007/s13205-012-0044-x.

Postagens recentes


Este site utiliza cookies para armazenar informações no seu computador.

x